>TECNOLOGIA DE PONTA: PNEUS MICHELIN REGENERAM-SE APÓS FURO!

>

A Michelin desenvolveu uma nova tecnologia para diminuir o incômodo que um furo traz quando você está pedalando por aí. Quando furados, os pneus Protek Max se fecham em vez de abrir; e, por conterem um material para vedar aberturas, eles se regeneram sozinhos de perfurações – ou seja, você pode voltar à bicicleta na hora. A superfície do pneu na verdade é visivelmente diferente dos pneus tradicionais, com pequenas protuberâncias voltadas para fora, que impedem que o pneu entorte. As protuberâncias também ajudam no processo de autorregeneração, por fazerem a borracha se comprimir (em vez de se expandir e piorar o furo). A pressão do ar deveria fechar o buraco, pelo menos na teoria, e o material para vedação selaria o furo de vez. O pneu já está à venda nos EUA por US$9, em dois tamanhos diferentes.
Post Reproduzido em sua forma original retirado do GIZMODO BRASIL

Advertisements

>E A TV ABERTA BRASILEIRA CADA DIA FICA MELHOR

>

Por essa nem você esperava! Não é que a Rede Record esta pensando seriamente em trazer de volta da tumba a velha Pegadinha do Malandro… Clicando no link abaixo, você sera redirecionado para a Folha.com e poderá ler a noticia completa! ” É Tv Aberta (100% grátis, 100% Brasil) e Sinal Digital para pouca qualidade de Conteúdo de Programação!” Abraços!

Record ressuscita as “Pegadinhas do Mallandro”

>UM NOVO ESTUDO SOBRE ANIMAÇÃO SUSPENSA

>

Se você se interessa por viagens intergálaticas e animação suspensa, clique para ver a postagem completa, e leia essa ótima matéria sobre o asssunto, que eu encontrei para vocês no Gizmodo Brasil. Abraços


No começo do inverno, ursos pardos encontram um lugar confortável em uma caverna ou toca que esteja bem protegida do frio. Então eles ficam curvados em posição fetal, adormecem, e não acordam ou comem por 5 a 7 meses. É a chamada hibernação, e até agora nós não tínhamos muita certeza do que acontecia com o corpo dos ursos durante esse período. Como eles podem sobreviver metade do ano sem comida? Ontem, a Science publicou o primeiro estudo abrangente sobre a hibernação dos ursos, e revelou que muitas de nossas suposições sobre o assunto estavam erradas.
O que nós aprendemos poderá ajudar cientistas que estudam animação suspensa para humanos em longas viagens espaciais. Apesar disso, eles não serão empacotados em caixas de gelo como River Tam em Firefly (foto acima). Isso porque o estudo com os ursos mostra que você terá que rever tudo que aprendeu sobre criogenia na ficção científica.
Estudar o comportamento de enormes e perigosos ursos sempre foi difícil, especialmente quando diz respeito à hibernação. Mas alguns anos atrás, um grupo de cientistas resolveu se arriscar. Eles cercaram vários animais “incômodos” – ursos que iam para cidades no começo do inverno e arriscavam a vida de humanos – e os colocaram em uma reserva com caixas de hibernação high tech. Os cientistas escreveram:

Os ursos hibernaram dentro de caixas de madeira de 0.8m³ com palha para dormir em cima e equipados com câmeras de infravermelho, detectores de atividade e antenas receptoras de telemetria. Água e comida não foram fornecidas.  O ar foi continuamente coletado do hibernáculo fechado para medir o consumo de O2 (uma medida de taxa de metabolismo). Depois que os ursos saem espontaneamente de seus esconderijos na primavera, as gravações continuaram, e o metabolismo mínimo depois de 24 horas de jejum foi determinado a cada quatro noites por um mês.

Basicamente eles monitoraram tudo desde a temperatura do urso, posição do corpo, até quando oxigênio eles consumiam ao respirar.
As primeiras descobertas não foram muito surpreendentes: Os ursos permaneciam curvados em posição fetal para preservar calor e água. Eles se erguiam uma vez a cada um ou dois dias para se reposicionar na palha.
Neste vídeo de um urso hibernando, você pode ouvir quão vagarosamente ele está respirando. Ouça como é longa a pausa entre os roncos. Este cara não está consumindo muito oxigênio.
Calor corporal durante o sono
A maior surpresa para os pesquisadores foi que os ursos permaneceram razoavelmente quentes durante sua hibernação – ainda que seu metabolismo diminuísse para 25 por cento do normal. Seus corpos diminuíram muito mais o ritmo do que era esperado, e permaneceram muito mais quentes.
Outros animais que passam por estados parecidos com animação suspensa diminuem sua temperatura corporal, mas a temperatura dos ursos diminuiu apenas uma média de 5 a 6 graus – como você pode ver no gráfico abaixo, suas temperaturas ficaram mais baixas durante o período mais frio do inverno, e aumentaram assim que a temperatura do ambiente subiu um pouco. Uma ursa, que estava grávida durante a hibernação, teve uma temperatura completamente normal até o momento no qual ela deu a luz – e então diminuiu assim que o filhote nasceu. Provavelmente isto foi para preservar a saúde do feto.

Ninguém tem certeza porque os ursos diminuem tanto o seu metabolismo enquanto ainda mantém sua temperatura. Os pesquisadores especulam que isso pode ser para preservar a função neural.
Então como seria a hibernação humana?
Sonhos sobre viagens espaciais frequentemente incluem algum tipo de tecnologia ou droga que irá induzir hibernação em humanos para que nós possamos aguentar anos de viagens espaciais.  E estes ursos são um bom modelo de organismo porque eles são bem grandes e são mamíferos (diferente de muitas criaturas que hibernam).

Uma coisa que eu aprendi de cara é que todos esses filmes que mostram pessoas em câmaras de animação suspensa com gelo muito provavelmente estão errados. Nós provavelmente ficaremos com temperatura normal ou algo próximo disso. Mas nós podemos ficar, como a River de Firefly, enrolados em posição fetal durante nossas viagens. Então todos esses filmes como Alien que mostram pessoas deitadas de costas em macas – provavelmente não são realistas.
Também é provável que nós não iremos ficar amarrados como os fuzileiros navais quando eles saem de suas câmaras de animação suspensa em Avatar – nós precisamos nos movimentar a cada um ou dois dias, então nós iremos querer um pouco de espaço nas câmaras de animação suspensa.
A grande questão é como nós iremos induzir hibernação em humanos. Seria através de terapia genética que nos daria algumas proteínas de urso? E como nós poderíamos prolongar os seis meses de hibernação em potencialmente décadas de animação suspensa em viagens espaciais? Este estudo, e outros depois dele, podem ajudar a responder essas questões.
Leia o artigo científico completo na Science (em inglês).