>NA INTERNET, SEJA HOMEM MAS NÃO SEJA BURRO!

>O mundo virtual (a internet) é tão ou na verdade, mais perigoso, que o mundo real. Mas, apesar disso, muitos insistem em acreditar em tudo aquilo que acessam na rede ou até mesmo, recebem por email. Não é por acaso, que eu, como Técnico em Informática, tenho um trabalho e tanto para explicar para algum cliente por exemplo, como hackers conseguiram acessar a sua conta corrente e zerar seu saldo bancário. Como isso é possível se o sistema bancário de transações online me foi garantido ser 100% seguro! Indaga o Cliente! Bem, respondo eu, o sistema realmente é seguro, mas do lado do banco, do lado do usuário e ou cliente, é bem falho, haja vista que não são poucos os que tem seus PC´s infectados por Trojans (virús) ao, por exemplo, aceitar o anexo daquele email que tinha como remetente a Policia Federal e dizia ser uma intimação de um Processo por Fraude na declaração de Imposto de Renda! Detalhe: Na maioria das vezes, nem declarante o cliente é, por não atingir o limite e assim estar qualificado como isento. Bem, muitos que lêem este texto agora, podem até estar pensando que estariam longe de tamanha burrice, mas saibam, vocês estão redondamente enganados! Leia, clicando em Leia Mais… a reprodução de uma matéria publicada no Site Meio Bit e assinada pelo excelente editor Carlos Cardoso, que explica como um perfil no Facebook, um rosto bonito e algumas fotos de biquini, podem revelar até segredos de estado do governo americano, num piscar de olhos! Abraços!


Violação de Segurança ou: Homem é bicho burro mesmo

O caso é fantástico e ao mesmo tempo previsível. Na verdade não tem nada de estranho, só comprova que homens machos do sexo masculino estão geneticamente programados para fazer tudo por um rabo de saia, inclusive abrir mão das faculdades mentais superiores que fingimos ter.
A diferença aqui é a proporção que a coisa tomou.
Tudo começou quando surgiu nas interwebs uma moça chamada Robin Sage, essa aí da foto. Ela dizia ter 25 anos e ser Cyber Threat Analyst do U.S. Navy’s Network Warfare Command. Chique, não?
Em menos de um mês ela conseguiu 300 contatos no Facebook, incluindo muita gente da comunidade de Inteligência. Fotos de biquini ajudaram.
Não parando no Facebook, Robin tinha perfis no Twitter, Linkedin e outros serviços. Seus contatos incluiam gente que trabalhava com o Estado Maior das Forças Armadas dos EUA, CIA, Corpo de Fuzileiros empresas como Lockheed Martin, Northrop e até o NRO, National Reconnaissance Office, agência secreta responsável pelos satélites espiões do Tio Sam.
Robin recebeu convites para revisar documentos da NASA, propostas para jantar, apresentar uma coferência em Miami.. Um soldado no Afeganistão mandou uma foto com dados de geolocalização e pra piorar um terceirizado no NRO se confundiu e revelou pra ela a pergunta secreta pra recuperar senha na conta de email. Fora informações pessoais, fotos de família, endereços e tudo mais revelado pelos espertões babando pela gatinha.
O problema: Robin Sage não existe.
Ela foi criada por Thomas Ryan, consultor de segurança. Foi um experimento para identificar a facilidade com que os membros da comunidade de segurança e inteligência poderiam ser enganados. Podemos dizer que o experimento foi MUITO bem-sucedido, e que ninguém verifica absolutamente nada.
O Comando de Network Warfare da Marinha dos EUA não tem um cargo de Cyber Threat Analyst, para ter 10 anos de experiência Robin deveria ter começado a trabalhar com segurança aos 15 anos, e bem, uma busca no Google traz como SEGUNDO RESULTADO para Robin Sage
eu sou hacker, achei o segredo da mulé…

Pois é. Robin Sage é um exercício de forças especiais que acontece 4 vezes ao ano, tem mais de 19 anos que é praticado e envolve um porrilhão de gente. Thomas Ryan também deixou outras pistas, como usar uma foto de uma mulher com aparência estrangeira (que ele pegou de um site de sacanagem, buscando no Google por “Emo Chick”, sério!) e outros detalhes, como os perfis todos tendo um mês de idade.
Não é preciso dizer que o Pentágono está pegando fogo. A facilidade com que gente inteligente cai vítima de engenharia social é assustadora. Antigamente as espiãs sedutoras como Mata Hari ainda tinham algum trabalho, hoje em dia já dá para conseguirem informações sem sequer tirar a roupa (nem mesmo na webcam). Bolas, essa conseguiu informações e contatos sem sequer existir!
Portanto, fica a lição: Seja você Especialista de Segurança dos EUA, seja você um zé-mané qualquer, a Regra é clara: Não dê mole. Um pouco de cinismo é essencial para sobreviver online.
Fonte: Washington Times, via Neptunus Lex

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s