>PLAYOFFS DA NFL, ESSE FIM DE SEMANA PROMETE

>Amigos Leitores, a temporada regular da NFL terminou, e para um Blogueiro como eu, que em seu último post sobre o assunto aqui no Blog, cantava aos 4 cantos que esse ano o Denver Broncos vinha para chegar aos playoffs e quem sabe ganhar o SuperBowl, (afinal, naquele momento o time vinha de um inicio de temporada arrasador com 6 vitórias consecutivas) como na época em que me apaixonei por esse time e pelo esporte torcendo para o Broncos de Terrell Davis e John Elway.
Mas, não foi isso que aconteceu, terminamos a temporada regular e nem a “repescagem” nos restou. Agora, só me resta ver como serão os playoffs e me contentar com a verdade, esse ano não deu! Clicando em Leia Mais… Vocês podem ver a reprodução de uma ótima matéria que eu li no Site O Quaterback, com uma análise muito detalhada do que podemos esperar dessa primeira rodada dos Playoffs de 2010. Abraços! :0)

A NFL verá uma série de disputas bastante curiosa na semana de Wildcard, pois três dos quatro confrontos serão repetições de partidas da última semana. Mais interessante ainda, os três jogos tiveram um placar extremamente largo, com uma somatória de 94 a 7 para os vencedores.

O primeiro jogo do final de semana é o reencontro de New York Jets e Cincinnati Bengals, com o time de Mark Sanchez sendo o visitante da partida. Apesar do início forte da equipe de Chad Ochocinco, os últimos meses do time não teve um grande jogo, com um desempenho abaixo da média para um campeão de uma divisão tão equilibrada como a AFC Norte. O grande desafio do coordenador defensivo Mike Zimmer é fazer a defesa segurar o jogo corrido de Thomas Jones e Shonn Greene, que tiveram um dominio completo do jogo com a linha defensiva do time de New York abrindo grandes buracos na defesa de Cincinnati.

Com capricho nas tarefas básicas do jogo, como executar os tackles e escolher os melhores ângulos para chegar nos adversários, causa das grandes corridas que vimos no início desta partida passada (foto), o Cincinnati tem a chance de colocar o jogo nas mãos de Mark Sanchez, que é o maior desejo de Marvin Lewis. Tendo sucesso neste plano, o ataque de Carson Palmer terá a chance de jogar no nível que é suposto que eles podem jogar e mostrar a razão da equipe ter chegado até aqui.

No final da rodada de sábado teremos a terceira partida no ano entre Philadelphia Eagles e Dallas Cowboys, com o time de Tony Romo tendo um claro favoritismo pelo excelente mês de dezembro que fez. A equipe do Cowboys vem embalada, ao contrário do Philadelphia que não consegue estabelecer uma sequência de jogos em alto nível. O duelo entre as defesas é um importante fator do jogo, já que o histórico do Eagles mostra que a equipe tem sérias dificuldades em buscar jogos, já que o jogo corrido geralmente é abandonado e vemos Donovan McNabb lançando uma série de passes em ritmo frenético, o que costuma gerar tentativas de quarto down e field goals de David Akers.

O time de Tony Romo já mostrou que sabe controlar o placar utilizando o seu bom grupo de Running Backs e passes curtos, tornando o time bastante perigoso quando na frente do placar. A defesa, com o fantástico Jay Ratliff e o linebacker DeMarcus Ware terá a chance de chegar em McNabb em algumas ocasiões da partida. Do outro lado, a chave do Eagles deve ser uma performance forte de sua defesa, que ainda não mostra o destaque do ano passado, com Jim Johnson no comando do grupo.

O domingo começa com o encontro de Baltimore Ravens e New England Patriots, no único jogo que não aconteceu na semana 17, já que as equipes se encontraram na semana 4, com uma vitória do Patriots por 27 a 21 num jogo bastante equilibrado. O Baltimore teve uma chance real de vencer o jogo, mas um drop de Mark Clayton custou a vitória ao time do coordenador Cam Cameron. A equipe do Ravens deseja uma estratégia totalmente oposta desta partida de início de temporada, onde teve que correr atrás do placar e tirou a bola das mãos de seu principal jogador, Ray Rice. A versatilidade de Rice, que terá o auxílio de Willis McGahee (foto) e LeRon McClain, é a chave do jogo para o Ravens tornar a partida uma batalha física, cansando a defesa do Patriots aos poucos e levando o jogo num campo que está longe de ser agradável para se jogar.

Do outro lado, a perda de Wes Welker, lesionado após tentar desviar do carrasco Bernard Pollard, deve mudar bastante a estratégia de Bill Belichick. Julian Edelman deverá ser o substituto de Welker na maioria das jogadas e o jovem terá sérias dificuldades contra a violenta defesa do Ravens, que tem pecado como grupo defensivo mas nunca foge do contato físico, o que prejudica o mirrado jogador. Este fato deve fazer o Pats trazer formações com mais tight ends em campo, além de um jogo mais focado no veterano Fred Taylor, que é uma adição que deve começar a fazer diferença nos momentos de decisão. Como relembrar grande jogos é sempre interessante, Pats e Ravens tiveram um encontro sensacional no final da temporada regular em 2007, onde o Baltimore quase tirou a série invicta de New England.

Fechando a rodada, o Green Bay Packers deseja repetir os dois triunfos contra o Arizona Cardinals, um deles na pré temporada e o outro neste final de semana, onde a equipe deixou os titulares por mais tempo que o normal, enfrentando os reservas do Cardinals por um quarto inteiro. O time do Packers tem um perfil bastante semelhante ao do seu adversário, contando com um quarterback de alto nível armado de bons recebedores e uma defesa que força turnovers, apesar de não estar entre as mais sólidas da liga. A defesa do Cards tem feito um bom trabalho neste ano, mas não se encontra entre as linhas que mais pressionam o quarterback adversário, que é o calcanhar de Aquiles do Packers, que trabalhou bastante para corrigir o problema. O tempo que Rodgers terá para lançar é um dos principais fatores do jogo, assim como a crescente temporada de Ryan Grant.

A qualidade do domingo de Kurt Warner também é um grande fator, já que vimos no ano passado como um jogo fantástico do veterano e de Larry Fitzgerald pode mudar o destino do jogo. O desempenho da linha ofensiva de Arizona tem sido ruim em algumas partidas (foto acima)e aí pode morar o grande problema. Um bom desempenho, permitindo o rookie Beanie Wells achar espaços e Warner podendo pensar, torna o Cardinals um dos grandes times desta pós temporada.

Os atropelamentos da semana passada não irão se repetir, mas deu a todos os envolvidos uma série de informações que serão utilizadas no final de semana. A análise detalhada das jogadas pelos treinadores pode ser o grande segredo entre a segunda vitória seguida de uns, ou da vingança do outro.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s